Quanto vale uma empresa e por que você deveria conhecer esse valor?

Tempo de leitura: 8 minutos

O valor de uma empresa é muito mais do que o preço. Isso porque considera muitos aspectos como seus ativos intangíveis e sua capacidade de produzir riqueza ao longo do tempo.

Aliás, é justamente por isso que conhecer o real valor de um negócio ajuda a tomar decisões estratégicas. E, mais do que isso, permite otimizar essas escolhas.

Mas só é possível estimar o valor de um negócio com segurança por meio da avaliação de empresas ou valuation, como se chama o processo de mensurar o seu valor de mercado.

A boa notícia é que esse caminho se torna cada vez mais conhecido no mercado brasileiro.

Esse tipo de apuração pode abrir caminhos de crescimento até então desconhecidos para você e sua empresa. E não importa qual é o segmento e o porte do negócio. Então, confira!

valor de uma empresa

Quanto vale uma empresa ?

Podemos dizer que uma empresa vale tanto quanto ela pode gerar de riqueza no tempo. Mas seu valor também pode ser determinado pela comparação com o valor de venda ou com indicadores de outras empresas no mercado.

Esses são os dois principais caminhos, os mais reconhecidos pelo mercado, para saber quanto vale um negócio.

O primeiro deles, que é o caminho mais usado, calcula o valor da empresa a partir do fluxo de caixa, isto é, da movimentação financeira da empresa, entradas e saídas, em certo período.

O fluxo de caixa é um indicador mais favorável do que outros como o faturamento e o lucro líquido, por exemplo. Isso porque uma empresa com alto faturamento pode estar dando prejuízo. Então essa não é uma métrica que representa realmente o potencial do negócio.

Mas o lucro líquido também é limitado já que uma empresa com alto lucro pode ter grande necessidade de investimento em capital de giro e em equipamentos.

Já o fluxo de caixa considera o Demonstrativo de Resultados da Empresa (DRE) e, portanto, o faturamento e a lucratividade do negócio. E, além disso, também o CAPEX, nome técnico para o investimento em capital de giro e em máquinas, equipamentos, veículos, etc. A depreciação também entra na conta quando a empresa analisada tiver regime tributário Lucro Real.

Método de valuation Fluxo de Caixa Descontado

Sendo assim, o método de valuation Fluxo de Caixa Descontado estabelece o cálculo do valor a partir da seguinte lógica:

a) Projeções dos fluxos de caixa que a empresa pode produzir no futuro conforme sua taxa de crescimento normal e as perspectivas de mercado;

b) Determinação de uma taxa de desconto que represente o valor do custo médio ponderado de capital a ser investido na empresa (no CAPEX, como mencionamos);

c) Aplicação da taxa de desconto que trará aquela projeção à valor presente, determinando o valor da empresa.

Como dissemos, esse é um dos caminhos mais seguros para o valuation porque representa a realidade do mercado e o potencial intrínseco da empresa.

Mas isso não é tudo.

O processo de avaliação de empresas (valuation) por esse método permite fazer uma espécie de “raio-x” do negócio. E, com isso, identificar os pontos fortes e fracos nas suas áreas mais estratégicas.

E sabe qual o resultado disso ?

O resultado permite o estabelecimento de diretrizes para a empresa valorizar-se no tempo.

Isso mesmo! É possível ajudar a empresa a valer mais no futuro.

Para o avaliador de empresas, esse tipo de análise não é difícil. Isso em virtude de sua expertise e das pesquisas de mercado que conduz para a elaboração do valuation.

Sobre valer mais

Em geral, os ativos intangíveis são muito importantes para o valor de uma empresa. Não raro, eles representam a maior porcentagem desse montante. Dentre os intangíveis mais importantes para as empresas estão a marca e a carteira de clientes.

E, aliás, é possível avaliar especificamente o valor de uma marca ou de uma carteira de clientes.

Contudo, vamos considerar o valuation como um todo. Imagine que esses dois ativos despontaram no valor da empresa, mas que se tenha constatado um potencial inexplorado em algumas áreas como: o marketing, a área comercial e o relacionamento com o cliente.

Pois bem! Uma vez indicado esse caminho, muitas medidas podem ser implementadas para qualificar ainda mais a marca, a carteira de clientes e a empresa como um todo.

E depois de implementadas essas melhorias estratégicas, faz-se um novo valuation para mensurar o crescimento do valor.

Isso tudo já é bem convidativo, não acha ?

Mas, ainda tem mais. Aliás, a essa altura, você pode estar se perguntando sobre o segundo caminho para avaliar uma empresa: aquele por comparação com outras. E é exatamente a ele que vamos na sequência!

Avaliação relativa ou por múltiplos

Outro caminho muito comum para saber quanto vale uma empresa é por meio da comparação com outras do mesmo segmento tomadas como referência de mercado.

E costuma-se usar esse caminho junto com o Fluxo de Caixa Descontado para que o valor da sua empresa seja ainda mais preciso, lógico e justo.

Mas, quais são os indicadores usados ?

Na verdade, são muitos, por exemplo: o valor patrimonial, o lucro líquido, o faturamento, o Ebit, o Ebitda, etc.

Contudo, o mais convencional é o Ebitda porque trata-se de um driver que só considera variáveis de desempenho operacional e não outras passíveis de variação por região ou país. Isso dá estabilidade ao indicador e amplia as possibilidades de comparação entre empresas.

Essa característica explicada está explícita na própria sigla em inglês que significa Earnings before interest, taxes, depreciation and amortization, ou seja, lucro antes dos juros, impostos sobre o lucro, depreciação e amortização, logo, Lajida, em português.

Então tomaremos o Ebitda como exemplo para explicar esse tipo de valuation.

Em primeiro lugar, determina-se o fator de multiplicação a partir das empresas-referência de mercado para aplicá-lo ao resultado operacional da empresa avaliada.

Por exemplo, se a média das empresas-referência vale 10 vezes seu Ebitda, então o valor da empresa avaliada será estimado em 10 vezes seu Ebitda.

Outro indicador que se usa como fator de comparação é o valor de venda de empresas semelhantes. Nesse caso, o método chama-se Transações comparadas.

E, claro, o mercado tem outros métodos de valuation. Mas os que apresentamos são os mais utilizados. E os demais, em geral, aplicam-se a empresas em condições econômico-financeiras menos promissoras.

valor real de uma empresa

Mas para que serve conhecer o valor da empresa?

Bem, um dos motivos já foi mencionado, que é traçar indicadores de crescimento para a empresa valer mais no futuro.

Mas não é só isso.

O valuation permite conduzir negociações de compra, venda ou fusão de empresas com mais segurança e equidade para as partes. Imagine estar em uma negociação dessas, pedir um valor pela venda e ouvir da outra parte: “mas com base em que você quer esse valor?”.

Só com um laudo de avaliação em mãos é possível defender o valor pedido de uma forma objetiva.

Utiliza-se o valuation também para determinar o valor inicial das ações de uma empresa que esteja abrindo o capital em bolsa de valores. Nesse caso do IPO, o valor inicial das cotas tem de ser proporcional ao valor da empresa.

E a avaliação da empresa é ainda um recurso que oferece mais equilíbrio a situações muito delicadas como uma dissolução societária ou a divisão bens e de herança, por exemplo. O laudo, nesse caso, tende a equalizar as decisões e minimizar conflitos.

O curioso é que o valuation pode até trazer algumas soluções muito inesperadas como reduzir os juros para um empréstimo bancário. Nesse caso o laudo de avaliação é um instrumento para comprovar a solidez da empresa e diminuir os riscos perante o agente financeiro (bancos).

Então, em resumo a avaliação de empresas serve para:

Conclusão

Em suma, neste artigo mostramos para você o que é uma avaliação de empresas, como se faz um valuation e ainda o motivo pelo qual é importante conhecer esse valor.

Então foi possível tratar de alguns métodos de valuation, seu funcionamento e vantagens. E, além disso, compreender os benefícios que o empresário pode ter ao conhecer o potencial econômico-financeiro de sua empresa. Então esperamos que você tenha aproveitado nosso artigo e que ele possa te ajudar em seus negócios ! 

Esse artigo foi produzido pela equipe de comunicação e marketing da D&R Negócios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *